Buscar
  • Rev. Renê Montarroios

Como Podemos Rememorar a Reforma com as Crianças?

Nesses dias especiais em que lembramos dos 500 anos da Reforma Protestante, muitos de nós, pais, pastores e professores estamos pensando em como podemos ensinar nossas crianças sobre a importância daquele evento e seu significado para nós hoje e o que nossos filhos precisam aprender para compreender e valorizar a herança que os reformadores nos deixaram.


Estudando a História da Igreja

Uma das maneiras de fazer isso é estudar com eles a História da Igreja – e sugiro que deveríamos tê-la como parte do seu currículo escolar desde cedo, seja na escola cristã, escola dominical ou no lar, para que possam entender as maneiras como Deus tem conduzido a sua igreja desde os tempos do Antigo e Novo Testamento, passando pelos pais da igreja e cristãos medievais, a fim de que o significado da Reforma seja compreendido em seu contexto e o impacto das verdades redescobertas ali seja ressaltado à medida que a criança ou jovem entende também as trevas, a corrupção e a cegueira que dominava a igreja medieval. Elas devem então estudar os pré-reformadores, a vida e a obra de cada reformador, e a herança reformada nos países protestantes, e aprender a valorizar e aplicar a verdade bíblica também para a época, lugar e contexto em que vive.

Estudando as Doutrinas Reformadas


Outra abordagem importante é explicar para as crianças as principais doutrinas ou ensinos que a Reforma redescobriu. Uma das doutrinas centrais da Reforma, sobre a qual havia unanimidade entre os reformadores, era a doutrina da salvação. “Como Podemos Ser Salvos?” é realmente a pergunta mais importante da religião e que somente a Bíblia responde satisfatoriamente. Para crianças menores, você pode começar explicando os 5 “Solas” da Reforma: Sola Scriptura, Sola Fide, Sola Gratia, Solus Christus, e Soli Deo Gloria são doutrinas que explicam também como somos salvos. A Igreja Católica ensinava que nós podemos cooperar com Deus na nossa salvação, seja comprando perdão, fazendo boas obras, castigando a nós mesmos, conseguindo o favor do papa ou orando a santos. Os reformadores nos ensinaram que o caminho da salvação é encontrado somente na Bíblia (Sola Scriptura), que a salvação não é comprada, mas é um presente da graça de Deus (Sola Gratia), que está somente em Cristo e que na cruz Ele fez tudo o que era necessário para salvar todo o seu povo (Solus Christus) e que recebemos o dom da salvação somente pela fé nEle (Sola Fide) e assim, por que a Salvação é de Deus somente, toda a glória pertence a Ele (Soli Deo Gloria).

O Acrônimo TULIP

Mas há ainda um outro recurso que tem ajudado a igreja a lembrar e a compreender melhor essa importante doutrina da salvação redescoberta pelos reformadores. Trata-se do acrônimo TULIP. Vou lhes contar um pouco sobre a sua história, o que ele significa, e como ele pode nos ajudar no ensino das crianças:


Breve História dos Cinco Pontos do Calvinismo


Alguns anos depois da Reforma, um professor holandês chamado Jacó Armínio começou a ensinar coisas erradas sobre a salvação, que no fundo eram bem parecidas com os erros da igreja católica, pois ele dizia que o homem não é tão mau e pecador como a Bíblia diz, que ele pode fazer coisas para merecer a salvação, que ele pode escolher ou rejeitar a salvação, que é possível perder a salvação e outros erros. Cerca de 100 anos após a eclosão da reforma, em 1610, um ano após a morte de Armínio, os seus seguidores resumiram o ensino arminiano em cinco artigos que usaram para protestar contra a doutrina da salvação pregada na igreja reformada holandesa. Eles queriam que a Confissão Belga e o Catecismo de Heidelberg, que eram símbolos de fé reformados, fossem mudados para se conformarem ao ensino arminiano.



Por isso, em 1618 se convocou um sínodo nacional conhecido como o Sínodo de Dort, em que cerca de cem teólogos holandeses e de vários países reformados europeus se reuniram para examinar o ensino arminiano a luz das Escrituras. Durante seis meses foram realizadas 154 reuniões, em que eles estudaram e rejeitaram o ensino de Armínio como contrário às Escrituras e rebateram cada um desses erros com 5 verdades bíblicas sobre a Salvação, que explicam a nossa situação de pecado e a maneira como somos salvos, conforme ensinaram Lutero, Calvino e outros reformadores, os quais, embora divergissem aqui e ali em uma ou outra doutrina, eram unânimes em sua fé na doutrina bíblica da soberania de Deus e da inabilidade do homem na salvação.

Como a Tulipa pode Nos Ajudar?


Em inglês, essas 5 verdades ou pontos podem ser facilmente lembrados pelo acrônimo TULIP, cada letra nos lembrando de uma dessas verdades que a Bíblia ensina. Tulip é, em inglês, o nome de uma bela flor, muito cultivada na Holanda, que muitas vezes é desenhada com 5 pétalas (na verdade ela tem três pétalas e 3 sépalas que se parecem tanto com pétalas que a tulipa parece ter 6 pétalas). Assim, cada letra do seu nome nos lembra desses 5 pontos importantes que devemos compreender muito bem porque nos farão apreciar muito mais a bondade, a misericórdia e o poder de Deus em nos salvar.

Infelizmente no Português esses termos não se encaixam bem com as letras da Palavra Tulipa, então o jeito é aprendermos em inglês mesmo! Fizemos o poema abaixo especialmente para ajudar seus filhos a compreender essas verdades – e de quebra ainda aprenderão mais algumas palavras em inglês! Experimente também reforçar com atividades como: ler em voz alta, fazer um cartaz com o acrônimo, ilustrar cada ponto em um carta, recitar um jogral ou mesmo memorizar ou musicalizar esse poema! Indicaremos mais sugestões de atividades no final dessa postagem. Vamos lá!



A Flor da Salvação

A tulipa é uma flor que me ensina uma lição

Suas cinco belas pétalas tem a ver com a salvação

Cada letra me ensina que não importa o que eu faça

Salvo sou pois Deus me amou, não por obras, mas por graça.

T- Total Depravity (Depravação Total)

T é de total – De total depravação

Quer dizer que sou tão mau- Pois sou um filho de Adão

Cada parte do meu ser está suja e corrompida

Estou morto em meus pecados, sem vontade e sem vida.

U- Unconditional Election (Eleição Incondicional)

U e de “un” – que equivale ao nosso “in-“

De incondicional – assim foi minha eleição

Quer dizer que Deus me amou, nada dependeu de mim.

Nada fiz pra merecer Seu amor e seu perdão.

L- Limited Atonement (Expiação Limitada)

L é de Limitada- Limitada expiação

Quer dizer que não são todos os que alcançarão perdão

Mas eu sei que estou seguro, Cristo não morreu em vão

Limitado é o número, mas não minha salvação.

I- Irresistible Call (Chamado Irresistível)

I é de irresistível – mesmo estando eu na lama

Deus me ama e me escolhe, e a quem escolhe, ele chama

Com o poder do seu Espírito ele muda o coração

Já não quero e não posso resistir ou dizer não.

P- Perseverance of the Saints (Perseverança dos Santos)

P é a perseverança – dos santos ou cristãos

Quer dizer que eu jamais vou perder a salvação

Todos os que são amados, eleitos e chamados

Até chegar no céu, vão ser por Deus guardados.

Já sei o que significa – seja tulip ou tulipa

É a flor da salvação – e como ela é bonita!

Como a Bíblia ensinou e explicou João Calvino

É a doutrina reformada do bondoso amor divino.

– K. Davis

É importante lembrar que esses cinco pontos são todos interligados e na verdade formam apenas uma única doutrina da Salvação. O teólogo J. I. Packer a resumiu em três palavras muito simples: “Deus Salva Pecadores”. Assim, devemos tentar ver como essa doutrina é uma só:

1- (Depravação Total) Nós somos pecadores totalmente perdidos e incapazes de fazer qualquer coisa pela nossa salvação. Nossa mente, nossa vontade e coração estão mortos para as coisas de Deus e nunca poderíamos ser salvos se não fosse por iniciativa e poder divinos. Por isso reconhecemos com gratidão que:

2- (Eleição Incondicional) Deus é soberano na salvação e escolhe aqueles que salva sem mérito algum de nossa parte, e não porque prevê que uns serão melhores ou terão mais fé que outros. Ora, se Ele escolhe alguns para salvação, segue-se que:

3- (Expiação Limitada) Cristo não morreu por todos os homens, apenas oferecendo uma possibilidade de salvação para alguns que vierem a crer (podemos comparar a doutrina arminiana a uma ponte muito larga, mas incompleta), mas Ele morreu apenas pelos eleitos, a quem salva de verdade e completamente (compare a uma ponte estreita, mas que leva até o outro lado do rio); o limite está no número dos eleitos, mas não no poder de Cristo, que salva completamente os eleitos. E como Deus os salva?

4- (Chamado Irresistível) Deus dá nova vida ao pecador pela obra regeneradora do Espírito Santo no seu coração, que lhe chama de entre os mortos de uma maneira poderosa e irresistível pela Palavra e lhe dá o desejo e a capacidade de ter fé e de obedecer a Palavra de Cristo. E, com o mesmo poder que Deus chama o pecador à vida e à fé em Cristo, Ele o sustenta, de modo que:

5- (Perseverança dos Santos) Aqueles a quem Deus escolhe, e chama, e dá nova vida, fé e o desejo de viver para a glória dEle, a esses Ele promete sustentar pelo seu poder a fim de que perseverem na graça de Deus até o fim, de modo que jamais podem perder a sua salvação.


* Para quem deseja estudar melhor o significado de cada termo, indicamos o livro Calvinismo, de Paulo Anglada, disponível na loja da Knox Publicações.

*fonte: https://macasdeouroblog.com/blog/2017/10/24/a-flor-da-salvacao/

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo